Rua Raimundo da Cunha Matos 440, Morro Grande – 12/Jun/2016

      A Rede Novos Parques SP convidou a comunidade da subprefeitura FÓ/ Brasilândia e demais interessados para discutir a transformação de uma área de 250 mil m2 no bairro do Morro Grande em um parque público.  A área está abandonada há mais de 30 anos, e nos seus “áureos tempos” tinha equipamentos culturais como cinema/ teatro e uma igreja.

 

Entrada da antiga pedreira.Entrada da antiga pedreira.

 

PROJETO – Trata-se da área da antiga Pedreira Anhanguera, que já é alvo do Projeto de Lei Municipal 625/ 2015 (AQUI), de autoria do vereador Ari Friedenbach, que propõe a criação do Parque Ecológico Sítio Morro Grande. Porém a chegada da Linha 6 – Laranja do metrô à região pode dificultar essa proposta, pois as obras do pátio da manobras da linha podem ocupar uma parte considerável do terreno.  O poder público já ocupou trechos dessa grande área com equipamentos como CEU e ETEC.

 

Momento da reunião.Momento da reunião.

 

PRESENTES – A reunião aconteceu na Sociedade Amigos das Vilas Iara, Progresso e Morro Grande, com a presença de lideranças e ambientalista, entre eles Cícero Alexandre (Movimento Morro Grande  Pró Cultura), Odete Carvalho (Casa Verde), Cida, Paulo Cesar, Naura, Maria Ângela (todos da Sociedade Amigos anfitriã),  Eugênio Pinese, (Parque Mun. Brasilândia/ Damasceno), Henny Freitas (Rede Novos Parques SP), Wesley (assessor vereador Ricardo Young), Claúdio Milz (Parque dos Búfalos), Débora Garcia (Diadema), Ana Sueli,  Fernando e Leandro (Movimento Pro Parque da Brasilândia).

 

Área pretendida para o parque, no Morro Grande.Área pretendida para o parque, no Morro Grande.

 

LUTA – Segundo participantes da reunião esse terreno teria como proprietário o sr. Tomas Melo Cruz, e que há até pouco tempo o “diálogo” entre moradores e proprietário vinha transcorrendo com sucessos. Recentemente começaram a aparecer dificuldades nas negociações, acredita-se que por motivos financeiros.  Foi proposta a intensificação dos trabalhos junto ao Ministério Público, visando a preservação da área para fins ambientais.  Foram citados os exemplos das lutas do Parque do Búfalo na Zona Sul, e do Parque da Brasilândia, em que o esforço da comunidade tem evitado o esquecimento pelo poder público dos amplos benefícios que essas áreas podem trazer para a cidade, se preservadas e transformadas em parques.

 

Edificação remanescente na área.Edificação remanescente na área.

 

RADAR – Henny Freitas, da Rede Novos Parques SP, propôs a produção de uma “carta-compromisso” para ser entregue aos candidatos ás eleições municipais em Outubro, visando obter dos próximos “eleitos” o compromisso de darem continuação na criação de novos parques, manutenção dos parques já existentes e a preservação do Meio Ambiente de São Paulo.  Assim essa bela área da antiga pedreira, que ainda mantém uma majestosa área verde, volta ao radar da sociedade civil, visando a sua preservação e retorno para toda a comunidade como parque público.

 

Exuberância da área verde, a apenas 12 km lineares da Sé.Exuberância da área verde, a apenas 12 km lineares da Sé.

 

MINUDÊNCIAS:
@ Após a reunião o grupo se dirigiu à região da antiga pedreira, para conhecer “in loco” a área pretendida para o Parque Municipal do Morro Grande.
@ Saiba mais sobre a Rede Novos Parques SP AQUI.
@ Saiba mais sobre o bairro do Morro Grande AQUI.

Colaboração de textos e fotos: Eugênio Luis Pinese.

Postar comentário

0
  • Visitante - Wagner Alves

    Sou morador desde 1960 e me interesso muito por esse assunto do parque. Trabalhei na Pedreira Morro Grande um bom tempo e meu pai a vida toda. Na pratica esse parque demarcado, é o quinta da minha casa, tudo o que for ser discutido me interessa, se possível solicito que me comuniquem para que eu participe das reuniões. Muito obrigado.